A ASINDICCAL nasceu da união de Lideranças Comunitarias.

De todas essas emissoras que foram lançadas ao ar pelos desbravadores santamarienses, apenas duas conseguiram a autorização para se instalarem legalmente: a Carai FM e a ComNorte FM. As demais emissoras foram fechadas pela ação de repressão da Anatel e da Policia Federal.

Em Santa Maria, a região oeste tem história de lutas e de resistência de rádios comunitárias, foi a localidade que mais rádios levou ao ar. No entanto, nenhuma destas emissoras conseguiu a outorga para funcionar dentro de legalidade.

Em 2015, um grupo de ex-locutores e ex-dirigentes destas emissoras de outrora, somando forças e conhecimentos se uniu para constituir uma entidade para pleitear a autorização do Serviço de Radiodfusão Comunitária e assim nasceu a Associação de Inclusão Digital e de Comunicação Comunitária Antena Livre - ASINDICCAL, que foi fundada em 13/12/15.

Em fevereiro de 2016 a ASINDICCAL, ecaminhou ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações-MCTIC a sua Demonstração de Interesse pela execução do Serviço de RadCom .

Participaram da constitituição e fundação da Associação de Inclusão Digital e de Comunicação Comunitária Antena Livre - ASINDICCAL representates da Tancredo Neves, Parque Pinheiro Machado, Cipriano da Rocha, Ecologia, Rossi e São Serafim.

Em março de 2018, foi publicado o Plano Nacional de Outorgas - PNO e devido a Demonstração de Interesse protocolado junto ao MCTIC, a cidade de Santa Maria, foi incluida no PNO.

Em agosto de 2018, por provocação da ASINDICCAL, através da Demostração de Interesse,o MCTIC publicou o Edital de Seleção Publica, abrindo o prazo de 60 dias para que a entidade apresentasse o Requerimento de Outorgas e demais documentos exigidos pela Legislação pertinente.

No momento estamos em fase de preparação desta documentação exigida.